O início do luto

 
índice
  Por Rabino Shamai Ende – do livro “Os Últimos Momentos”
 

1. A partir do término do enterro, ou seja após cobrir totalmente a cova e fazer um pequeno montinho de terra sobre o túmulo, inicia-se os sete dias de Shivá, e passam a vigorar as leis de luto. A partir deste momento também, inicia-se os trinta dias do luto, Shloshim.Se o enterro é realizado no final da tarde, deve-se reparar exatamente o horário do término do mesmo, pois caso terminou após o total anoitecer, o luto iniciará a noite, terminando um dia depois, pois a noite já faz parte do dia seguinte.

2. Quando o enlutado não vai ao enterro, se ele está na cidade onde se encontra o cemitério ou próximo dela, o luto começa quando ele é avisado que o enterro terminou, ou quando ele supõe que já deu tempo de finalizar o enterro.

3. Porém, se o corpo esta sendo enviado para ser enterrado em outra cidade ou em outro país, os enlutados que não acompanham o corpo, iniciam o luto, após tomarem seu caminho para retornar ao lar. Quando o corpo é despachado por avião, os enlutados que acompanharam até o aeroporto iniciam o luto após a decolagem.

4. Nestes casos se o enlutado mais velho (ou seja, aquele que é o responsável da casa) vai ao enterro, e ficará durante o período de Shivá no local do enterro, mesmo aqueles que ficaram na cidade iniciam o luto somente após o enterro, caso este foi realizado dentro de três dias após a viagem. Neste caso uma autoridade rabínica deve ser consultada, já que existem muitos detalhes referente a estas leis. Porém se o enlutado mais velho voltar para a cidade onde encontram-se os outros para sentar com eles shivá, o luto inicia-se antes da viagem e este que viajou termina seu luto junto com aqueles que ficaram, mesmo que não completou para si os sete dias.

5. Quando o enlutado não está na cidade do falecido e nem estará presente no enterro, o luto inicia-se logo após ele ser comunicado do falecimento. No entanto, o enlutado deve perguntar a seu rabino como agir, já que existem outras idéias entre os legisladores.

6. Se alguém não foi avisado da morte de um parente e chegou em casa no meio do luto, deve perguntar a um rabino se o seu luto termina após sete dias de sua chegada, ou se ele encerra junto com os outros enlutados. Se a pessoa só ouviu sobre o falecimento depois que os sete dias de Shivá terminaram, mas ainda durante o primeiro mês após o falecimento, ele deve sentar sete dias de Shivá completos,. Porém se ele só recebeu a notícia após trinta dias, o luto para ele dura apenas uma hora. Por este motivo, quando um irmão do falecido mora distante, e não tem muito contato com a família, pode-se deixar para comunicar-lhe o falecimento após os trinta dias para que não tenha que se enlutar por sete dias.

7. Se o enlutado é recém casado, na primeira semana após o casamento, o luto inicia-se somente após terminar a primeira semana de casado. (Isto é válido somente para as primeiras núpcias. Em caso de segundas núpcias, o luto inicia-se após três dias do casamento)

8. Caso o enterro for realizado em Chol Hamoed, o luto inicia-se após o término dos segundos dias de Yom Tov.

9. No caso que o falecimento ocorreu por causa de um afogamento ou outro acidente e o corpo não foi encontrado, a Shivá inicia-se a partir do momento que desistiram de procurar o corpo.


Outras Considerações de
Quando começa a Shivá


Por Maurice Lamm

Pessoas desaparecidas e presumivelmente mortas

1 – Se há esperança de encontrar os restos do falecido, como no caso de alguém que se afogou ou foi morto por um animal em local conhecido, ou se foi assassinado, e acredita-se que o corpo será encontrado, o luto deve começar quando o corpo é descoberto, ou quando, após busca exaustiva, toda a esperança de encontrar o corpo é abandonado. Se houver uma expectativa razoável de que o corpo será encontrado, o luto não precisa ser observado.

2 – Se não há expectativa de encontrar o corpo, como no caso de alguém que se afogou no oceano, ou acredita-se que tenha sido morto em local desconhecido; ou se uma busca exaustiva não produziu resultados e não há testemunhas da morte, então:

a – Se a esposa sobrevive, não deve haver luto demonstrativo por temor de que outros a considerem disponível para casamento quando, na verdade, essa disponibilidade é incerta aos olhos da lei, pois não houve testemunhas da morte do marido. Se houver uma testemunha, ou alguém que soube da morte por uma testemunha, deve-se procurar orientação rabínica.

b – Se não há esposa sobrevivente, se o falecido é solteiro ou divorciado, o luto é iniciado quando é feito o julgamento da morte. No entanto, essa é uma ocorrência bem incomum, e a determinação da morte é uma decisão rabínica complicada e difícil. O leitor deve avaliar que este assunto é complexo e para o qual não há uma regra geral, e portanto, deve procurar conselho qualificado.

A duração da shivá

Os sete dias de luto começam imediatamente após o enterro. Terminam na manhã do sétimo dia após o enterro, logo depois do serviço matinal (shacharit). Aqueles presentes oferecem condolências, e o enlutado se levanta de sua semana de luto. Se não é feito um serviço de shacharit público na casa do enlutado, a shivá termina depois que o enlutado recita suas preces pessoais, desde que seja após o pôr-do-sol.

Ao computar os sete dias, a tradição judaica segue o princípio de considerar uma fração do dia como um dia completo. Assim, o dia do enterro é considerado como o primeiro, embora o enterro possa ter sido concluído apenas alguns momentos antes do anoitecer. Assim, também, o sétimo dia é considerado um dia completo embora o luto fosse observado por somente um curto tempo após o pôr-do-sol. Dois dias fracionados de luto são contados como dois dias inteiros de shivá.

Para ilustrar, se o enterro ocorreu na tarde da quarta-feira, a quarta-feira é o primeiro dia, a quinta o segundo, sexta o terceiro, sábado o quarto, domingo o quinto, segunda o sexto e a manhã de terça é o sétimo e último dia. Um método simplificado é considerar a shivá como concluindo uma semana a partir da manhã antes do dia do enterro.

O Shabat durante shivá e sheloshim

O Shabat não termina a shivá como faz um Grande Dia Festivo, pois embora as observâncias públicas de luto sejam suspensas, as práticas privadas de luto são observadas. Portanto, é contado como parte dos sete dias. Como as observâncias públicas de luto são suspensas e os enlutados têm permissão de calçarem sapatos e saírem de casa para serviços, é necessário estabelecer a duração exata do descanso do Shabat. Além disso, as roupas rasgadas não são usadas no Shabat durante a shivá.

O enlutado não deve levantar-se da shivá (na sexta-feira) até o mais próximo possível do Shabat, permitindo-se o tempo necessário para os preparativos do Shabat, como cozinhar ou vestir-se. Isso não deveria levar mais que uma hora e um quarto. Numa emergência, cerca de duas horas e meia podem ser permitidas para estes preparativos. Contrário à opinião popular, a avelut não cessa ao meio-dia da sexta-feira. O enlutado deve retornar ao luto na noite de sábado, logo após os serviços noturnos.

Feriados durante shivá e sheloshim

1 – O espírito de júbilo que é obrigatório nos Grandes Dias Festivos não se coaduna com a tristeza do luto. Na Lei Judaica, portanto, o feriado cancela completamente a shivá. Assim, se o luto foi começado até uma hora antes do escurecer, o início da Festa anula o restante da shivá, e consideramos uma hora de observância de shivá como equivalente a sete dias completos.

2 – Se, no entanto, a morte ocorreu durante o feriado, ou mesmo antes do feriado, mas sem o conhecimento do enlutado, shivá e sheloshim começam depois que o feriado é concluído.

3 – Além disso, se a shivá foi completada tarde como na manhã antes do feriado, o restante do sheloshim é cancelado, e todas as observâncias são suspensas. Assim, um homem pode ter um corte de cabelo imediatamente antes do feriado em honra à Festa, tendo o sheloshim sido cumprido.

4 – Se o feriado ocorreu no meio da shivá, não apenas a shiva é considerada completa, como os dias do feriado são contados para o sheloshim, e a contagem de 30 dias não precisa ser retardada até depois do feriado.

Resumo dos regulamentos para os feriados
Se o luto começou antes de Pêssach


1 – O luto parcial antes do feriado iguala sete dias.
2 – Oito dias de feriado, acrescentados ao sete, perfazem um total de 15 dias.
3 – Exigido para o sheloshim: 15 dias adicionais.

Shavuot:
1 – O período de luto antes do feriado iguala sete dias.
2 – O primeiro dia de Shavuot é considerado como o equivalente a outros sete dias, somando 14 dias.
3 – O segundo dia do feriado marca o 15 dia.
4 – Exigido para sheloshim: 15 dias adicionais.

Sucot
1 – Período de luto antes do feriado iguala sete dias.
2 – Sete dias de feriado, acrescentado aos sete, fazem um total de 14 dias.
3 – O feriado de Shemini Atsêret, que cai no oitavo dia de Sucot, age como Shavuot no que diz respeito a sheloshim, sendo considerado como outro período de sete dias. Isso perfaz 21 dias.
4 – O dia de Simchat Torá marca o 22 dia.
5 – Exigido para sheloshim: oito dias adicionais.

Rosh Hashaná e Yom Kipur
Embora não haja mandamento de "rejubilar-se" tecnicamente) nesses feriados, eles são considerados o mesmo que as outras Festas em todos os três aspectos, ou seja: a) Cancelam o restante da shivá, se o luto foi aceito antes do feriado. b) Eles retardam o início do luto se o enterro por algum motivo ocorreu durante eles; c) Eles cancelam o restante do sheloshim se a shivá foi completada antes do início do feriado. Assim,

Rosh Hashaná:
1 – Luto antes de Rosh Hashaná equivale a sete dias.
2 – Yom Kipur completa o sheloshim.

Yom Kipur:
1 – Luto antes do dia sagrado iguala sete dias.
2 – Sucot completa o sheloshim.
Se o enterro ocorreu, por algum motivo, durante o próprio feriado, ou em chol hamoed de Sucot ou Pêssach, então:
1 – A observância de shivá começa na compleição do feriado (no caso de Sucot – após Simchat Torá).
2 – O último dia da festa (Pêssach, Shavuot, Sucot e Rosh Hashaná) é contado como o primeiro dia de shivá.
3 – Os dias dos feriados são, mesmo assim, contados como parte de sheloshim. (Daí a circunstância incomum de ter o sheloshim antes de shivá).
4 – O dia de Shemini Atsêret é contado como apenas um único dia.O texto abaixo não pertence ao autor:

Resumo das proibições durante o período da Shivá
(Leia mais detalhes nas opções do menu principal)


A um enlutado não é permitido:

• Trabalhar (em situações que envolvam sócios, patrões, etc., a pessoa deve informar-se com um rabino ortodoxo competente antes do sepultamento, a fim de fazer os arranjos necessários.)

• Trabalho doméstico necessário (limpeza, lavagem de louça) e preparação das refeições são permitidos.

• É exigido que se forneça ajuda financeira a pessoas pobres, para que possam afastar-se do trabalho durante a shivá (sete dias de luto inicial).

• Os enlutados não podem lavar-se ou tomar banho, exceto o rosto, mãos e pés com água fria (o uso de cosméticos também está incluído nesta proibição.)

• Uma mulher em idade de se casar (ou uma noiva) pode embelezar-se mesmo durante este período de sete dias de luto.

• Não pode calçar sapatos de couro.

• Não pode ter relações íntimas (nem mesmo no Shabat).

• Não podem estudar Torá (porque causa alegria).

• Um enlutado pode estudar Iyov, Kinot, as porções tristes de Yermiyáhu e as leis de luto. Não pode estudar outras ciências ou ler outras coisas (jornais, por exemplo) que afastarão sua mente do luto. (Aruch Hashukchan). Pode estudar obras de Mussar. (Sdei Chemed, Avelut 25)

• Não pode saudar outras pessoas. Se alguém cumprimenta um enlutado após os primeiros três dias, ele pode responder em voz baixa.

• Não pode lavar ou limpar roupas.

• Não pode falar em excesso, nem dar risadas e alegrar-se, pois foi dito: "Que permaneçam em silêncio." Esta proibição é entendida do fato de que nem mesmo pode dizer "Shalom" a outras pessoas. Um enlutado também não pode pegar uma criança no colo, ou engajar-se em atividades similares que possam provocar o riso. (Rambam, Aveilut 5:20)

• Não pode barbear-se ou cortar o cabelo (pentear o cabelo é permitido).

• Não pode cortar as unhas com um utensílio, mas pode roê-las ou arrancá-las.

• Não pode sentar em um assento. Quem estiver doente ou em situação excepcional deve consultar um rabino ortodoxo competente para exceções à regra acima.

• Um enlutado não pode sair de casa durante a primeira semana. Entretanto, pode sair para dormir em outro lugar se houver necessidade.

• No sétimo dia, depois que os visitantes saíram (ou depois da hora em que eles normalmente sairiam), o período de luto está terminado. É costume que alguns amigos ajudem os enlutados a levantarem-se do chão.
 

 

 
   
top